DICAS DE SAÚDE III

Aqui você encontrará respostas para as dúvidas mais freqüentes relacionadas com a sua saúde.

Celulite

Qual mulher já não ouviu falar, ou melhor, não apresentou em alguma fase da vida algum sintoma desta patologia que assombra o sexo feminino.
Celulite ( lipodistrofia ginóide ) é uma doença que provoca acúmulo de gordura , água e toxinas nas células.
É caracterizada clinicamente por depressões, desníveis e nódulos na pele.
Dependendo do estágio, pode haver sintomas de dor, resfriamento da pele local e a presença também de varizes.

Como fatores predisponentes ressalta-se o próprio ciclo menstrual( quando a mudança hormonal constante dificulta a eliminação de toxinas), hereditariedade, sedentarismo, má alimentação, problemas circulatórios e uso de anticoncepcionais.

Como se trata? Há realmente cura?
Pode-se dizer que há controle, pois como é um processo constante, necessita de um tratamento persistente, pois o nódulo destruído não volta, mas outros podem ser formados.
O tratamento envolve dietas balanceadas, exercícios, avaliação para possíveis alterações hormonais, bem como tratamentos tópicos e via oral.
Tratamentos locais como: mesoterapia, ultra som externo, drenagem linfática manual ou mecânica, subincisão, são também indicados para o tratamento desta complexa doença.

Queda de Cabelo

Queixa constante no consultório dermatológico é a alopécia (termo médico designado para a queda de cabelo).
Há vários tipos de alopécia, sendo algumas fisiológicas e outras patológicas.
Isto é, algumas são devidos ao próprio ciclo capilar e outras são causadas por outros fatores.
Cada pessoa tem em média 100000 a 150000 fios de cabelo e normalmente perde 50 a 100 fios por dia.
Há um ciclo de vida do fio e este compõe-se de 3 fases: Anágena (crescimento), catágena (parada do crescimento) e telógena (queda).

A fase anágena é a fase em que o fio cresce 1-4 cm/mês, sendo que 80 a 90% dos cabelos presentes no couro cabeludo estão nessa fase (duração 2-3 anos).
Cerca de 1% dos fios presentes estão na fase catágena (duração de 2-3 semanas).
Já a fase telógena corresponde a 10 a 20 % dos cabelos.
No final da fase telógena é que o fio cai, sendo que antes de cair, um outro fio tem que estar crescendo em seu lugar.
Este ciclo é o fisiológico sendo que em algumas situações pode ser alterado.

Entre vários fatores há: stress físico e emocional, fatores hormonais, genéticos, bacterianos, fúngicos, medicamentoso, doenças sistêmicas, regime de emagrecimento e tratamentos cosméticos(tinturas permanentes).
É grande o marketing de venda de produtos dermatológicos para queda de cabelos, porém não se deixe enganar por “formulas milagrosas”.
Sendo de causa multifatorial a alopécia deve ser tratada sempre com orientação médica.

Acne

A acne é uma das dermatoses mais freqüentes na clínica dermatológica, surgindo na puberdade e podendo persistir na idade adulta.
É uma doença multifatorial. Dentre estes destacam-se:

- Hereditariedade (quando ambos os pais possuem a doença há a possibilidade de 50 % dos filhos de desenvolverem acne).
- Distúrbio de queratinização folicular. Origina os comedões (cravos).
- Hipersecreção sebácea.
- Bactérias (maior freqüência é a proprienibacterium acnes,que se encontra geralmente no folículo piloso.
- A influência alimentar na acne é rara.

Com relação ao quadro clínico existe uma grande variação de casos, como por exemplo cravos, pápulas, pústulas, nódulos, abcessos, fistulas e cicatrizes.
Estas lesões desde mínimas até os casos mais severos podem perturbar a qualidade de vida das pessoas tanto no aspecto físico como no emocional.
Cada paciente deve ser avaliado como um todo, de acordo com a idade e sexo e deve ser investigado os possíveis fatores etiológicos, dosagens hormonais e ultrasonografia pélvica na suspeita de hiperandrogenismo e ovários policísticos nas mulheres.
Há outros quadros clínicos designados como erupções acneiformes ou acnes induzidas. Alguns exemplos:

- Acne por cosméticos: várias substâncias são comedugênicas
- Medicamentosa: aplicações tópicas (vaselina, corticóide)
- Por fricção: contatos freqüentes com bonés, chapéus, capacetes
- Estival (de verão): devido a sudorese excessiva e também uso de cremes fotoprotetores
- Ocupacionais: manipulação com cloro, pesticida, óleos e graxas
- Medicamentos: corticóides e hormônios, vitaminas, lítio, rifampicina, etc

O tratamento é personalizado. Depende do grau do quadro clínico, podendo utilizar medicamentos tópicos ou sistêmicos.
O dermatologista deve ressaltar que em alguns casos o tratamento é longo, para que o paciente se conscientize e colabore, diminuindo a ansiedade que é freqüentemente observada.
CONTINUA