DICAS DE SAÚDE IV

Aqui você encontrará respostas para as dúvidas mais freqüentes relacionadas com a sua saúde.

Disidrose

A disidrose é uma lesão freqüente na clínica dermatológica.
Pode acometer ambos os sexos e em qualquer idade.
Disidrose ou eczema desidrótico são lesões vesiculosas (pequenas bolhas) que aparecem nas regiões palmares (mão) e plantares (pé) de carcter recidivante.
O quadro clínico é súbito e recorrente e a duração do quadro em média é de 3 semanas.

Existem vários fatores relacionados a esta entidade:

- Contatantes: várias substâncias estão relacionadas com relação ao contato.
- Atopia
- Infecções bacterianas
- Medicamentos: dentre estes destacam-se as penicilinas e outros antibióticos
- Infecções fúngicas
- Fatores emocionais
- Fatores estressantes, geralmente associam à hiperhidrose

O tratamento realizado é com produtos tópicos e nos casos mais severos medicamentos sistêmicos.
É importante que o paciente não se automedique, a fim de que não ocorra piora ou mudança do quadro, devendo sempre procurar orientação de um dermatologista.

Excesso de pelos

Não há mulher que não se queixe dos pelos, seja por excesso ou falta, eles sempre incomodam esteticamente.
Em relação aos pelos em excesso pode-se distinguir dermatologicamente os termos hipertricose e hirsutismo.
Hipertricose é o aumento exagerado de pelos locais, sem causa hormonal e sem predileção especial por lugar de aparecimento.
Pode ser idiopático (quando não se encontra nenhum fator identificável como familiar, genético ou racial) ou decorrente a doenças sistêmicas ou medicamentos.
A hipertricose deve ser considerada para cada indivíduo, pois a distribuição e o número de pelos varia conforme a raça, cor, genética ou hormonal.

Hirsutismo é o aumento exagerado de pelos terminais que ocasionam na distribuição e localização do pelo tipo masculino. Talvez seja secundário a uma anormalidade endócrina.
O quadro de hirsutismo pode acompanhar-se de seborréia, acne e perturbações menstruais.
À partir do diagnóstico estabelecido e tratada as possíveis causas, indica-se os melhores métodos para eliminar os indesejáveis pelos. Algumas dicas para eliminá-los de maneira mais indolor e rápida:

a) Lâmina de barbear: deve-se usar preferencialmente após banho e no sentido de crescimento do pelo.
É um método prático, dura pouco porém alguns pelos podem encravar.
b) Ceras frias e quentes: As mais indicadas são aquelas à bases de mel e algas.A quente remove com mais facilidade.
Costumam durar mais do que a depilação com lâmina, porém aqui também, os pelos podem encravar.

c) Cremes depilatórios: é eficaz, porém algumas mulheres podem apresentar alergia.
d) Depiladores elétricos: arranca os pelos igualmente à depilação com cera, porém é mais doloroso.
e) Eletrólise: queima a raiz do pelo através de pequenas agulhas que cauterizam o local.
É um método doloroso e lento e que pode deixar cicatrizes.
f) Laser: através da energia a laser o pelo é eliminado. O método é quase indolor; porém de alto custo, e em alguns casos pode alterar a pigmentação da pele.

Consulte sempre seu dermatologista para investigar as possíveis causas e procurar a melhor orientação.

O sol e a sua pele

Já foi demonstrado que a irradiação ultravioleta (UV) é responsável por diferentes efeitos biológicos na pele humana, inclusive no início da fotocarcinogênese, isto é, aumenta a incidência de tumores de pele.
As irradiações UVA e UVB são responsáveis pelo fotoenvelhecimento e fotocarcinogênese.
Portanto deve-se evitar estes possíveis efeitos.

Como preveni-los ?
Vivemos num país tropical onde este “nosso sol brasileiro” é a fonte não apenas de energia e calor, como também sempre acompanha-se de praia, diversão, férias e lazer...
A resolução para tal dilema está numa boa orientação médica.

As campanhas de prevenção alertam a fotoproteção, evitar o sol das 10 as 16 hs, bem como utilizar filtros solares tanto UVA como UVB.
Tais filtros devem ser utilizados na infância e continuado o seu uso ao longo da vida.
Deve ser formulado e aplicado, sendo a orientação dada por um dermatologista, de forma personalizada, para cada tipo de pele, idade ou raça.
Ressalto também que o uso de filtro solar deve ser diário independente da época do ano.

E lembrem-se sempre do slogan da campanha nacional do câncer de pele: “Sol na medida, saúde na certa”.
INICIO